quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Eles nao amam a vida


A busca de uma saída para a crise econômico-financeira mundial está cercada de riscos. O primeiro é que os países ricos busquem soluções que resolvam seus problemas, esquecendo do caráter interdependente de todas as economias..... O segundo é perder de vista as demais crises, a ecológica, a climática, a energética e a alimentar. Concentrar-se apenas na questão econômica, sem considerar as outras, é jogar com a insustentabilidade a médio prazo.... O terceiro risco, mais grave, consiste em apenas melhorar as regulações existentes em vez de buscar alternativas, com a ilusão de que o velho paradigma neoliberal teria ainda a capacidade de tornar criativo o caos atual.

O problema não é a Terra. Ela pode continuar sem nós e continuará. A magna quaesto, a questão maior, é o ser humano voraz e irresponsável que ama mais a morte que a vida, mais o lucro que a cooperação, mais seu bem estar individual que o bem geral de toda a comunidade de vida. Se os responsáveis pelas decisões globais não considerarem a inter-retro-dependência de todas estas questões e não forjarem uma coalizão de forças capaz de equacioná-las aí sim estaremos literalmente perdidos.

Na verdade, se houvesse um mínimo de bom senso, a solução do cataclismo econômico e dos principais problemas infra-estruturais da humanidade seria encontrada.

Leonardo Boff
http://vivemosjuntos.blogspot.com

Imagem Alexandra Baltog - "Evolution"

2 comentários:

Mai disse...

Olá, Paulo.

Vim retribuir tua visita e comentário, ao 'inspirar' e, fiquei feliz.
Teu post me acrescentou bastante. Gostei de tudo o que vi, ouvi e li, aqui.
Também gosto de Boff.

E voltarei, estejas certo de que voltarei.

Abraços.

Bela música!

Opiniões no Brasil disse...

Seu blog está muito bom...
Bjs!