domingo, 1 de fevereiro de 2009

Cântico - XVII



Perguntarão pela tua alma
a alma que é ternura,
bondade, tristeza, amor.

Mas tu mostrarás a
alma do teu vôo.
Livre por entre os mundos..
E eles compreenderão
que a alma pesa.

Que é um segundo corpo,
e mais amargo,
porque não se pode mostrar,
porque não se pode ver…

- Cecília Meireles –

5 comentários:

Esterança disse...

Sublime, Cecília!

nossa alma pesa sim, o peso da eternidade,

beijos na alma e obrigada pela visita!


.~

Compondo o olhar ... disse...

maravilhosooooooooooooooo!!! amei de paixão...
gostei muito do seu blog e estou indicando-o p o selo " olha que blog maneiro". dá uma passadinha no meu blog p pegar seu presentinho, e continue assim. muito sucesso.

Mirian Mondon disse...

Paulo, mais uma vez parabens pelo seu belo blog.

Passe lá no E s s e n c i a l para pegar seu premio, pelo seu trabalho e pelo companheirismo!

Abracos

Mai disse...

Oi, querido.

Mas podemos sentir. Saramago escreveu sobre o que se vê sem a visão... Um mundo de possibilidade dos sentidos.

Exuperry deixou-nos em sua simplicidade a reflexão de que os olhos são cegos e que é preciso buscar com o coração.

Assim vejo a tua beleza porque sinto tua beleza vejo a tua alma porque sinto, como nos vitrais que só são vistos 'belamente' por dentro.

Carinho, sempre.

Maria disse...

Como assim eu nunca inha visto esse verso?! Ele foi escrito pra mim!!!!!!!!!!!! rsrs

Obrigada por me entregar...rs

Beijos doces